12/04/2007

a qualidade do sexo casual anda desestimulante e antes de procurar o celular confiro a programação da TV pra ver se não vou perder nada mais interessante. segunda-feira, nem pensar, porque posso finalmente descobrir o que aquele monte de desajustados estão fazendo perdidos numa ilha e se o tal Projeto Dharma existe mesmo. na sexta, Heroes, mais desajustados perdidos. sábado é dia de não fumar e não beber, comer Cheddar McMelt e assistir desenho animado no cinema. domingo tenho preguiça. nas terças é aquela coisa de beber e beber e beber até amanhecer o dia e alguém lembrar que está atrasado para o trabalho. quartas e quintas: estou livre. mas será que vai valer a pena? não desliga. falei sem pensar! juro. porra! que mulher mais temperamental. ahn... e agora?

tenho quase certeza que no futuro vão existir apenas três modalidades de sexo: 1) aquela coisa esquisita que os casados praticam e que lembra muito vagamente sexo; 2) aquela outra coisa esquisita que os os casados também praticam, quando estão sozinhos em salas de bate-papo na internet, e que também lembra muito vagamente alguma outra coisa ainda mais esquisita e que ninguém sabe muito bem o que é; 3) e o sexo profissional. como recasar ou comprar uma webcam são duas coisas esquisitas que não passam pela minha cabeça, e olha que muitas outras coisas esquisitas passam pela minha cabeça, decidi espiar os classificados de acompanhantes no jornal.

pra começar, anúncios de agências. tudo muito profissional e organizado, sem nenhum sabor de aventura. na sequência, uma tal de Karen pergunta se alguém deseja ser o seu ursinho. não, muito infantil. a Jacke, aposta em algo do tipo "trabalho construído sob o alicerce da confiança, olhar o cliente nos olhos e entender o que ele precisa garantindo a máxima satisfação", terminando com o endereço do site amo-voce-ponto-qualquer-coisa. como assim "amo você"? e que papo é esse de entender o que eu preciso? putaquepariu, só falta querer discutir a relação. a Carol, liberal total, transa até inversão de papéis. ahn, acho que ainda prefiro algo mais tradicional. pra finalizar, uma série de anúncios de ninfetas preguiçosas em busca de velhos pervertidos.

desisto dos classificados do jornal e abro a Rolling Stone de abril. a revista Rolling Stone tem uma característica ímpar: é a única revista do universo que em todas as edições consegue fazer matérias enormes sobre os Rolling Stones, a melhor banda de rock de todos os tempos — contrariando a tese que alguns defendem de que a melhor banda de rock de todos os tempos é aquela outra banda inglesa, precursora dos Menudos e do Backstreet Boys. mas isso não importa, o que importa é que a prática sexual dos Stones devia ser objeto de estudo. Mick Jagger, Keith Richards e Brian Jones deixam qualquer pessoa se sentindo a Madre Teresa de Calcutá e levam a reflexão do tipo "será que ainda sou virgem?".

no final de tudo, aprendi uma lição que já esqueci — o que é absolutamente normal e só comprova como minha saúde mental está como sempre foi. acho que era uma lição associada com uma letra qualquer, só não sei qual, se ao Ponto "G", o "X" da Questão ou a Hora "H". enfim, sexo é uma coisa que não sai da cabeça de ninguém, mesmo que meio manjado, e continua sendo uma boa opção de diversão em suas devidas proporções.

4 comentários:

Silvia Chueire disse...

er...mas afinal vc não disse como resolveu a questão, não casou nem comprou web cam e...?

e eu quem nem sabia que só casados ou donos de web cam. : /

um abraço,
silvia

ps: e não sou casada nem tenho "cam".

Hi disse...

meu caro, pois é, sexo casual hoje em dia ta prá la de sem graça mesmo.

tenho uma teoria... acho que uma das questões a serem consideradas é que o sexo casual costuma rolar depois de uma noitada, ai ja viu... os dois estao bebados, pra la de badga... o que fazer? o que não fazer? o que pode? o que não pode?

pior é amanhecer no dia seguinte, olhar para aquele corpo estirado do seu lado e pensar no que se está fazendo ali com aquele sujeito?

a cachaça deixa tudo mais lindo, brilhante, mas quando ela vai embora tira o filtro cor de rosa da nossa cara e tudo volta a ser mto real, sem graça e cinzento

bom mesmo é namorar, nada de casamento, ou promessas vãs... mas ter um sexo certo, sem neura, nem loucuras ou receios é a melhor pedida! sempre.

abraço´

gostei da sua ´metrica.

Hilaine

Saramar disse...

Como sempre, uma delícia de ler.
Sexo??? o que é isso?

beijo

Rogerio B. disse...

Silvia,
decidi colocar um anúncio no jornal e diversificar minha atuação profissional. vou me oferecer para programas onde o pagamento só será realizado se existir satisfação plena de ambas as partes.

Hi,
"sexo certo, sem neura, nem loucuras ou receios", me lembra casamento! :P

Saramar,
sexo é uma coisa que fica entre o primeiro elogio da noite e o orgasmo.

beijos múltiplos!
:P