24/05/2007

acordei. voltei a dormir. acordei. virei para o outro lado. acordei novamente — engraçado, fiquei com a sensação esquisita de que já estava acordado. na dúvida, resolvi dormir mais um pouco. não consegui. abri os olhos. fechei os olhos. o telefone tocou. não tem jeito, está na hora de sair da cama. andei pela casa assim meio-nonsense com um monte de idéias coloridas e performáticas na cabeça. estranhei essa palavra: per-for-má-ti-cas. sei lá! não sou o tipo de cara que sai por aí pensando em coisas "performáticas" sem que exista uma intenção oculta. será que agora ando querendo aplicar todo meu fingimento intelectual, utilizado apenas para impressionar mulheres incautas, na tentativa de seduzir as paredes? escovei os dentes e olhei para o espelho. preciso cortar o cabelo ou depois do banho aqueles fios espetados se acomodam naturalmente? banho e cabelo espetado. café. agenda: 1) parar de fumar e 2) escrever cartas. decidi escrever cartas. mais café e nada de cartas. qual era a outra opção mesmo? acendi um cigarro. em seguida, descartei definitivamente a idéia de escrever cartas. percebi que estava num daqueles dias bem divertidos e lembrei que durante a noite tive umas duas ou três idéias não-performáticas que esqueci completamente. tenho preguiça de 1) acordar, 2) parar de fumar, 3) escrever cartas e 4) anotar coisas. e se não faço anotações é certo que vou esquecer. minha memória é igual a memória RAM de um computador: desligou, faltou luz, deu pau, não salvou, adeus arquivos! "que dia maluco", pensei! fechei os olhos. acordei assustado e abri os olhos — não tenho muita certeza da ordem correta dos acontecimentos. engraçado, onde foi parar aquele monte de idéias performáticas, mulheres incautas, paredes, banho, cabelo espetado, dentes escovados, café, cartas e cigarros? na dúvida, verifiquei se estava realmente acordado. uau! como isso dói! acho que sonhei, não lembro, e no sonho, mordia o lábio inferior tentando acordar. o telefone tocou. que agonia! voltei a dormir.

3 comentários:

karen disse...

Isso tá parecendo com alguma música do Belle and Sebastian.

*E nesse friozinho não dá vontade de sair da cama mesmo!!!

Abraços guri

Rogerio B. disse...

Karen,
um tempo atrás, andei traduzindo algumas letras do Belle and Sebastian, vai ver copiei os caras, mas juro que foi sem querer! essa minha falta de memória ainda vai me meter numa roubada... outro dia pensei algo do tipo: ser ou não ser, eis a questão. achei genial, mas fiquei na dúvida: será que não li isso em algum lugar?
beijos

Silvia Chueire disse...

eu ri aqui. ótimo texto. sempre digo isto? ah, vc merece : )
gosto destes textos ao fio do pensamento. e tenho a maior dificuldade com eles porque em geral meu pensamento se perde e, pronto, lá se vai o texto. é só por isso que escrevo poemas. se eu me perder ainda posso dizer que são poemas, ora. : )
vc tem essa qualidade, nunca se perde ( nos textos quero dizer ). : )

beijos,
silvia