25/02/2007

acreditei nessa conversa mole
pensei que o mundo ia se acabar
e fui tratando de me despedir
e sem demora fui tratando de aproveitar
beijei a boca de quem não devia
peguei na mão de quem não conhecia

outro dia estava assistindo televisão — jornalismo sério, honesto e totalmente descomprometido, e rolou uma matéria sobre a existência de um relógio que indicava faltar apenas dois minutos para o fim do mundo. a informação era de um grupo de cientistas-malucos do Institute of Statistics and Indecision Neurotic Science de Londres — igualmente sérios, honestos e totalmente descomprometidos. quase entre numas e outras e pirei pensando que nunca mais fosse voltar, corri para o telefone e liguei para o meu filho — eu te amo e a gente se encontra por aí! depois abracei a Azeitona e quando dei por mim estava no pátio olhando para o céu esperando o início de um show pirotécnico, visto antes somente pelos dinossauros, que anunciariam a volta de Deus, Diabo, Elvis Presley, Clóvis Bornay, Paulo Fancis e do cometa Halley. dois minutos, três, quatro, e nada. voltei para dentro de casa convicto de que a teoria de Darwin ou tem erros comprometedores na tradução para o português ou é maior obra de ficção corporativista da história. é impossível que uma espécie tão estúpida como a nossa seja resultado de uma evolução natural.

E o mundo não se acabou (Adriana Calcanhotto)

2 comentários:

Ane disse...

Gargalhadas duplas por aqui!!! E com ecos! Mas sem show pirotécnico...

Guri, juro que quando eu comecei a ler eu estava achando que se tratava de um post sério, honesto e totalmente descomprometido.

Beijo e vê se toma juízo!

Rogerio B. disse...

Ane,
só vou tomar juízo no dia que aumentarem o percentual alcoólico dessa porcaria. putz, tomar juízo e não sentir tonturinha nenhuma não dá!
beijo