04/06/2007

alguém disse uma vez — e deve ter sido um grego porque desconfio que aqueles caras disseram antes tudo que alguém poderia ou gostaria de dizer — que a arte e a filosofia são metáforas mais ligadas ao “humor da imaginação” do que a "loucura da razão". sinceramente, não faço a mínima idéia do significado dessa conversa tipo "concepção estética imobilizada" que parece algo assim na linha do "convencionalismo estreito e hostil a qualquer inovação", mas acho que faz sentido e é por essas e outras que opinião de 1) artista ou 2) filósofo ou 3) bam-bam-bam-em-qualquer-assunto é sempre uma chatice. talento ou inteligência nunca foram sinônimos de sensatez. Platão sacou isso e sugeriu que esses tipinhos esquisitos fossem expulsos da "Cidade Perfeita". nessa utopia, muito parecida com a sociedade imaginária de Thomas More onde todos vivem de mel, suco de frutas no canudinho, harmonia e conversa-fiada, Platão exila aqueles que pensam de forma alegórica. os artistas, filósofos e bam-bans servem apenas para aliviar a dor e a culpa da humanidade, e mais nada. sem dor e culpa, são inúteis. no paraíso não existem motivos para sonhar e todos vivem de olhos bem abertos desfrutando da realidade.

bom, mas chega dessa viagem por um tempo e uma galáxia muito, muito distante. vamos voltar para o fundo da caverna onde permanecemos sempre no mesmo lugar assistindo televisão. na caverna, gente esquisita é uma necessidade porque são eles que sempre encontram a saída e ofuscam suas retinas na fogueira da verdade e aquela coisa toda muita maluca e confusa com homens carregando estatuetas que Platão inventou — sem Elvis ainda estaríamos escutando MozARGHt e sem MozARGHt sei lá se um dia chegaríamos a Elvis. mas essas saídas não solucionam nossos conflitos reais. a arte muda apenas a estética da arte, o pensamento muda apenas a estrutura do pensamento, e assim vai para nenhum lugar. por sorte ou azar, algumas vezes todo o resto do mundo acaba pegando uma carona nessa transformação, como por exemplo, diminuindo o tamanho do biquini — o que já é uma evolução e tanto, vamos combinar!

os artistas e filósofos e acadêmicos sobrevivem da irresponsabilidade e da abstração. quando decidem se envolver com a realidade são tão falíveis quanto qualquer pessoa e só falam bobagem. Umberto Eco, Bono Vox e Gilberto Gil são a prova disso. melhor seria se todos eles tivessem a mesma atitude tô-nem-aí de Jim Carrey, que para espanto dos gregos disse uma coisa que eles não tinham pensado ainda: "não esperem que depois de um dia de trabalho como o meu, chegue em casa e vá levar o lixo pra rua!"

4 comentários:

Silvia Chueire disse...

Adoro quando vc filosofa. : )

crisblog disse...

Você foi o melhor "achado" desta madrugada.

rsrs

Já ri tanto e me apaixonei bastante.

Beijos.

crisblog disse...

Vou linkar você !

Cheiro.

crisblog disse...

Ah!...vou roubar um post !

Adorei sobre os intelectuais !

rsrsrs

Abraços.